Localizado em Lagoa Santa à 53km de Belo Horizonte é considerada uma das sete maravilhas da estrada Real, a Gruta da Lapinha impressiona pela perfeição e é uma obra de arte esculpida pela natureza. A gruta possui 700 metros de extensão (511 metros abertos ao público), 40 de profundidade, um sistema de iluminação artificial e um conjunto de cortinas denominado candelabros. Dentre os diversos salões que compõem a gruta, oito estão abertos para visitação e recebem nomes relacionados às características das formações rochosas do resultado da sedimentação e cristalização de minerais dissolvidos na água.

A gruta da Lapinha é um dos atrativos do parque estadual do Sumidouro, que ainda possui outros atrativos como a lagoa e a lapa do Sumidouro, com pinturas rupestres de milhares de anos e sítio arqueológico de importância mundial escavado pelo naturalisata Peter Wihelm Lund no século XIX. As trilhas interpretativas também são uma boa opção para os turistas.

O parque possui uma ótima infraestrutura, com ótimos banheiros, rampas e elevadores acessíveis, lanchonete e uma loja de souvenires. A visita à gruta começa pelo Museu Peter Lund, que tem o objetivo de divulgar as descobertas e a trajetória do importante naturalista dinamarquês que dá nome ao espaço.

A visitação é em grupos de até 25 pessoas, acompanhadas por guias devidamente preparados para interagir e conscientizar os turistas da complexidade e riqueza deste monumento natural. Na porta da Gruta os guias contam um pouco da história do local e passam todas as orientações necessárias da visitação. É obrigatório o uso de capacete durante a visita e não dispersar do grupo. No interior da gruta da Lapinha existem diversas escadas, todas bem iluminadas, com guarda corpo e corrimão.

Fizemos todo o percurso com a nossa filha de 4 anos, não sentimos em nenhum momento alguma sensação de insegurança tanto para nós, quanto para ela. Os guias dão todo o apoio informativo e de segurança, garantido que todo o grupo fique junto durante a visitação.

A aventura ficou por conta da imaginação, pois qualquer adulto ou criança ao ver aquele novo mundo subterrâneo, cheio de pedras brilhantes, estalactites e estalagmites com suas formas que lembram um castelo, as ondas do mar, um dinossauro e várias outras formas que nossa imaginação pode criar, fez com o nosso passeio se tornasse muito mais memorável e divertido.

Como chegar:

Existem duas maneiras diferentes de se chegar ao Parque Estadual do Sumidouro, pela Lapinha (Lagoa Santa) – portaria do Museu Peter Lund/Gruta da Lapinha ou pela Quinta do Sumidouro (Pedro Leopoldo) – portaria Casa Fernão Dias, que distam 6km uma da outra.

Para chegar, saindo de Belo Horizonte de carro, seguir pela MG 10 sentido Lagoa Santa, caminho para a Serra do Cipó. No bairro Campinho, em Lagoa Santa, entrar à esquerda sentido Lapinha, após o Km 44, e seguir as placas indicativas das duas entradas do Parque. Deste ponto são 6 km até a recepção do Museu Peter Lund/Gruta da Lapinha. Caso siga por aproximadamente mais 6 km, chega-se até a recepção Casa Fernão Dias. Todo o trajeto é sinalizado.

Museu Arqueológico da Lapinha “Museu do Castelinho”

Próximo da entrada da gruta da Lapinha também há um outro museu famoso pela arquitetura em forma de um castelo medieval, o Museu do Castelinho. A entrada é paga à parte e custa R$3,00 por pessoa, que vale muito a pena!

O museu conta com um acervo permanente de 6.000 peças, sendo 4.000 delas da região de Lagoa Santa. Dentre elas, destacam-se fósseis humanos, ossadas completas do Homem de Lagoa Santa (povo de Luzia), 400 ferramentas pré-históricas e cerâmicas indígenas pré-históricas.

 

Outras Informações da Gruta da Lapinha:

Estacionamento: Gratuito

Tempo de Percurso: de 30 a 40 minutos

Horário de Funcionamento: 3ª a dom. das 9h às 17h.

Distância de Belo Horizonte: 53 km

Valor de entrada: Gruta + museu: R$ 15,00 inteira e meia estudante ou crianças de 06 a 12 anos.

Telefone: 31 3689-8592 / 8585 / 8575

Site: http://pesumidouro.blogspot.com.br/

Você também vai gostar:

Curti
Curti Amei Haha Wow Triste Nervoso